quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Semana Mais Cultura UFMS

Semana Mais Cultura UFMS com participação do Clube de Astronomia Carl Sagan: observações do céu noturno, reconhecimento de constelações, bate-papo sobre início e fim do universo, entre muitas outras "astroatividades". 


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

SEMANA MAIS CULTURA NA UFMS

Cronograma de atividades
Casa de Ciência e Cultura de Campo Grande /
Clube de Astronomia Carl Sagan

Domingo, dia 27/09
Abertura – Concerto, das 19h30 às 20h;
Observação do Eclipse Lunar, a partir de 20h (término previsto: 23h);
"Brincando com a Matemática" - das 20h às 22h.

Segunda-feira, dia 28/09
"Brincando com a Matemática" - das 14 às 18h;
Observação do céu noturno, das 19h às 21h,
com as Astroatividades “Dinâmica dos Planetas” e “Reconhecimento de Constelações no Céu”.

Eclipse Lunar Total

No próximo domingo, dia 27, a Casa da Ciência de Campo Grande realiza um "astroencontro", às 20h. O objetivo é observar o eclipse total da Lua.

De acordo com a programação do dia, às 20h começará a Observação da Lua com telescópio, promovida pelo Clube de Astronomia Carl Sagan. O evento durará até as 00h00 quando a sombra da Terra projetada sobre a Lua não poderá mais ser vista.



Os eventos da Casa e Clube são abertos e gratuitos, convidamos a todos da universidade e da cidade, incluindo amigos e familiares, para prestigiarem esse grande evento celeste conosco.
Mais informações podem ser obtidas pelos canais:
  • E-mail: cacarlsagan@gmail.com
  • Facebook:facebook.com/ClubedeAstronomiaCarlSagan
  • Blog:http://cacarlsagan.blogspot.com.br/

terça-feira, 22 de setembro de 2015

As estranhas estrelas rombudas e seus discos que brilham

Com informações da Agência Fapesp -  21/09/2015

Modelo da estrela Be Achernar, ilustrando duas das peculiaridades dessa classe de estrelas: a expansão do equador estelar e o direcionamento do fluxo luminoso para os polos. [Imagem: Daniel Moser Faes]

Estrelas Be


Astrônomos brasileiros e canadenses estão começando a lançar algumas luzes sobre um dos tipos mais estranhos de estrela que se conhece.

As estrelas do tipo Be são objetos tão estranhos que mesmo astrofísicos não envolvidos diretamente em seu estudo se surpreendem com a sua descrição.

É que esse tipo de astro possui ao redor um disco de plasma - átomos, íons positivos e elétrons - que, embora não seja o material capaz de dar origem a planetas, pode ser descrito pelos mesmos princípios físicos que regem os discos protoplanetários, como aquele que deu origem ao nosso Sistema Solar.

"Como essas estrelas giram muito rapidamente, o material da superfície do equador estelar fica fracamente ligado à estrela, em termos gravitacionais, e acaba sendo ejetado. Esse material aglomera-se no plano equatorial, formando o disco que estudamos em colaboração com os colegas canadenses", explica o astrônomo Alex Cavaliéri Carciofi, da USP.