terça-feira, 31 de julho de 2012

O que aconteceu com as bandeiras que foram deixadas na Lua?

Nave robótica da NASA confirma que os objetos levados por astronautas norte-americanos continuam na superfície lunar.


Imagem feita pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) em 27 de julho de 2012 mostra a zona de pouso da Apollo 16. Uma marca, segundo a Nasa, é a sombra da bandeira deixada pela missão. (Foto: Nasa/ GSFC / Arizona State University / AFP Photo)

Você se lembra das emblemáticas bandeiras norte-americanas deixadas na Lua pelos astronautas Buzz Aldrin e Neil Armstrong como marco de sua viagem ao satélite? De acordo com o site NY Daily News, as bandeiras continuam lá, mais de 40 anos depois de terem sido deixadas na superfície do astro.

Uma nave robótica de reconhecimento lançada pela NASA, atualmente em missão na órbita da Lua, registrou inúmeras imagens incríveis, incluindo, entre elas, provas visuais de que as bandeiras levadas pelos astronautas da Apollo 11 continuam nos mesmos locais nos quais foram deixadas em 1969.

Elas continuam lá

De acordo com as imagens, uma das bandeiras provavelmente se encontra caída, o que confirmaria o relato de um dos astronautas de que o objeto foi atingido pela força dos escapamentos da nave no momento da decolagem.

A presença — ou não — das bandeiras norte-americanas na superfície da Lua tem sido um tema de discussão e pesquisa ao longo dos anos, e as imagens parecem confirmar e esclarecer inúmeras dúvidas. Só não foi possível ainda, devido à distância na qual as imagens foram capturadas, determinar qual é o estado de conservação dos materiais que as compõem.

Os objetos foram deixados na superfície da Lua não como forma de criar qualquer tipo de territorialidade, mas para simbolizar um incrível feito realizado com sucesso pela humanidade.

Fonte: NY Daily News

Luas de Saturno aparecem 'juntas' em imagem obtida por sonda da Nasa

Satélite Mimas aparece à espreita de Dione em registro feito pela Cassini. Planeta conhecido por seus anéis tem pelo menos 60 luas já estudadas.


A sonda Cassini, da agência espacial americana (Nasa), obteve uma imagem impressionante de duas luas de Saturno "sobrepostas". O satélite Mimas aparece à espreita de Dione, que está em primeiro plano. Os anéis do planeta podem ser vistos no canto superior direito.

Luas Dione e Mimas (menor) são vistas por sonda da Nasa (Foto: Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute)

Mimas tem 396 quilômetros de diâmetro e Dione, 1.123. Na foto, a parte visível da lua maior está do lado oposto de Saturno.
A imagem foi obtida em luz visível no dia 12 de dezembro de 2011. Na época, a Cassini se encontrava a 606 mil quilômetros de distância de Mimas e a 91 mil quilômetros de Dione.
Em julho, a Nasa divulgou a imagem de outra lua de Saturno, Encélado, após fazer uma análise detalhada de Titã, o maior satélite do planeta – que tem pelo menos 60 já conhecidos e nomeados orbitando ao redor de si.


Fonte: Notícias

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Para os románticos temos a Nebulosa do Coração IC 1805



O campo de visão da imagem acima mostra uma região da constelação da Cassiopeia. A imagem acima, na verdade, mostra uma visão detalhada da região conhecida como Coração do Coração, IC 1805. O aglomerado estrelar catalogado como Melotte 15 aparece na parte central direita da imagem acima. Estima-se que o aglomerado esteja localizado a 7500 anos-luz de distância da Terra.

A imagem acima foi feita em 9 de Setembro de 2011, desde Laguna Mountains na Califórnia. Para essa imagem foi usado um telescópio Mak-Newt de 152 mm em f/4.8 Explora Scientific Levy. Foi usada uma câmera ST8300M, com 15 imagens de 9 minutos de exposição através de um filtro H-alpha, 10 imagens de 5 minutos de exposição UV/IR e 10 imagens de 3 minutos de exposição em RGB.


Fonte: Ciência e Tecnologia

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Telescópio da Nasa detecta planeta alienígena a 33 anos-luz da Terra

Agência espacial americana divulgou ilustração do candidato a exoplaneta. Cientistas buscam corpo celeste com condições de habitabilidade.

Um planeta alienígena, que tem apenas dois terços do tamanho da Terra e é considerado um dos menores já registrados pelos cientistas, foi detectado pelo telescópio espacial Spitzer, da agência espacial americana (Nasa). Uma ilustração dele foi divulgada nesta quarta-feira (18) pela instituição dos Estados Unidos.

Conhecido como UCF-1.01, o candidato a exoplaneta orbita uma estrela chamada GJ 436, localizada a 33 anos-luz de distância. A identificação de planetas próximos ao Sol, e pequenos, auxiliam nas pesquisas para encontrar, um dia, um exoplaneta parecido com a Terra e que seja habitável aos seres humanos.

Atualmente, são conhecidos mais de 700 exoplanetas. A contagem começou em 1995, quando o primeiro planeta a girar ao redor de uma estrela diferente do Sol foi desvendado.


Ilustração do candidato a exoplaneta UCF-1.01, encontrado pelo telescópio Spitzer, da Nasa. (Foto: Nasa/Reuters)

Fonte: Notícias

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nebulosa do Caranguejo




Em 1054, a mais de 9 séculos um objeto brilhante chamou a atenção dos Chineses e do povo Anasazi (uma tribo ameríndia desaparecida a muito tempo, com desenvolvido conhecimento astronômico)  próximo à estrela ζ Tauri. O brilho foi resultado de uma explosão colossal de um estrela super massiva, que permaneceu durante meses a fio brilhando o suficiente para ser vista até mesmo durante o dia. Seus restos formam o que hoje conhecemos como Nebulosa do Caranguejo.

Alpha Centauri

O clarão de Alpha Centauri, uma das estrelas mais brilhantes no céu do planeta Terra à noite na região sul. A apenas 4,3 anos-luz de distancia, Alpha Centauri na verdade consiste de um sistema múltiplo de estrelas semelhantes ao Sol, enlaçadas numa dança perpétua.

Colégio Espírita prof. Anália Franco

Dia 04/05, atendemos ao colégio Espírita Anália Franco  no bairro Morada do Sol.

Cerca de 50 alunos, entre 4 a 9 anos, participaram assiduamente de uma exposição com vídeos e curiosidade sobre Astronáutica




Os pequenos se mostraram atentos e curiosos, com muitas dúvidas e questionamentos. No fim, todos se encantaram com os vídeos de lançamento.









Posteriormente, em um belo Campo de Futebol da região, lançamos foguetes de Aguá para delírio dos pequenos. Finalizamos com uma excelente observação.




O entusiasmos dos alunos foi empolgante, muitos já estavam a par do tema abordado por estarem em fase de preparação para a primeira fase da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), além de terem assistido toda a série COSMOS de Carl Sagan. Isso se reflete do excelente trabalho das professoras deste colégio.


                              




Eventos como estes acontecem através da intermediação de um professor, profissional da educação ou até mesmo pais de alunos, que entram em contato com o clube. 



Essa foi mais uma iniciativa de uma professora preocupada com a educação de seus alunos, o nosso Clube de Astronomia tem o prazer em atender esses professores e colégios.






Veja uma apresentação deste colégio e do excelente trabalho realizado pelos professores.





Atendimento a Escola Estadual Riachuelo.

Dia 24/04, atendemos a Escola Estadual Riachuelo.

Aconteceu, uma ótima observação com cerca de 15 alunos. Em especial, comemoramos  a inauguração do recente Clube de astronomia "Vigilantes das Estrelas"  neste mesmo colégio, este recente clube é coordenado pela professora de Física Fabiana.

A maioria dos integrantes do recente formado Clube de Astronomia estava presente.

Foto publicada na pagina do SED

Esta observação teve repercussão no Site da Secretária de Estado de Educação (SED)  confira aqui. .

Eventos como estes acontecem através da intermediação de um professor, profissional da educação ou até mesmo pais de alunos, que entram em contato com o clube.

Essa foi mais uma iniciativa de uma professora preocupada com a educação de seus alunos, o nosso Clube de Astronomia tem o prazer em atender esses professores e colégios.

Atendimento ao Colégio Estadual Amando de oliveira.

Dia 5/06, Atendemos ao colégio Amando de Oliveira. 

Cerca de 70 alunos foram atendidos na observação enquanto várias atividades didáticas aconteciam  simultaneamente, entre elas a projeção do software Stellarium para diálogo sobre o céu , explicação com um globo terrestre, Fases da Lua etc. 

A observação foi divulgada na Secretária de Estado de educação (SED). Confira Aqui

Fila para o Telescópio

Os Alunos se interessaram por todas atividades e manifestaram desejo de se associar ao clube. Lembrando que o Clube de Astronomia Carl Sagan é aberto para todos interessado

Alunos explorando o espaço com binóculo.


Foto distante revela grupos com diferentes atividades.

Eventos como estes acontecem através da intermediação de um professor, profissional da educação ou até mesmo pais de alunos que entram em contato com o clube. 

Essa foi mais uma iniciativa de um professor preocupado com a educação de seus alunos, o nosso clube de Astronomia tem o prazer em atender esses professores e colégios.

Escola Estadual Prof. Maria de Lourdes Areias

Dia 18/04 Visita à Escola Estadual Prof. Maria de Lourdes Areias.

A primeira observação de 2012 foi realizada no colégio Escola Estadual Prof. Maria de Lourdes Areias. Colocamos em prática uma contextualização sobre o que seria observado no céu, com aspectos gerais e básicos sobre Astronomia. Relacionamos, com a escala do sistema solar, o tamanho (volume) dos planetas e das estrelas.

Contextualização acontecendo no Pátio do Colégio.

Os monitores do Clube, prenderam a atenção de cerca de 100 alunos por cerca de 2 horas, o que nos leva a pensar sobre o papel da divulgação científica e o interesse de muitos no assunto, que raramente é trabalhado e discutido.

Contextualização acontecendo no Pátio do Colégio.



Eventos como este acontecem através da intermediação de um professor, profissional da educação ou até mesmo pais de alunos, que entram em contato com o clube.



Essa foi mais uma iniciativa de um professor preocupado com a educação de seus alunos, o nosso Clube de Astronomia tem o prazer em atender esses professores e colégios.

Atendimento a Estadual Blanche dos Santos Pereira

Dia 17/05, Atendemos a Escola Estadual Blanche dos Santos Pereira, Bairro Tijuca.

Cerca de 100 alunos foram atendidos na observação, junto com várias atividades didática acontecendo simultaneamente.

Cada Monitor trabalhou com uma atividade prática diferente, os alunos se mostraram muito receptivos em todas as atividades.
Divulgaram a Observação no Blog do Colégio, confira aqui!

Eventos como estes acontecem através da intermediação de um professor, profissional da educação ou até mesmo pais de alunos que entram em contato com o Clube.


Galera esperando a Montagem do telescópio


Atividade de reconhecimento do céu
Foto publicada no Blogue do Colégio.


Foto Publicada no Blogue do Colégio.






Essa foi mais uma iniciativa de um professor preocupado com a educação de seus alunos, o nosso clube de Astronomia tem o prazer em atender esses professores e colégios.

Estrela semelhante ao Sol perde brilho em apenas 2 anos, diz estudo

Pesquisa publicada na 'Nature' aponta acontecimento dramático 'misterioso'. Estrela está localizada a 465 anos-luz da Terra.

Uma estrela semelhante ao Sol sofreu um dramático escurecimento em um curto espaço de tempo, aponta estudo realizado pela Universidade da Califórnia, dos Estados Unidos, e divulgado pela revista “Nature”.

A pesquisa, publicada na edição impressa desta quinta-feira (5) relata que a estrela TYC 8241 26521, localizada a 456 anos-luz da Terra, perdeu em 30 vezes seu fluxo de radiação infravermelha em apenas dois anos e houve ainda um rápido desaparecimento dos restos de poeira em uma região equivalente ao nosso Sistema Solar.

Com os resultados, os cientistas sugerem que o sistema passou por um acontecimento dramático, mas afirmam que não existe atualmente nenhuma explicação ou modelo que detalhe tais observações.


Concepção artística mostra a estrela TYC 8241 2652 emitindo radiação infravermelha há vários anos. (Foto: Gemini Observatory/AURA artwork by Lynette Cook.)

Outra concepção artística mostra novamente a estrela e como o sistema estaria após o desaparecimento da maior parte da poeira. (Foto: Gemini Observatory/AURA artwork by Lynette Cook.)

Fonte: Notícias

segunda-feira, 2 de julho de 2012

E Tudo o Vento Levou (ou quase)

A estrela HD189733, localizada na constelação da Raposinha (Vulpecula), a cerca de 63 anos-luz de distância, mesmo junto à famosa Nebulosa do Haltere (Messier 27), ganhou notoriedade em 2005 quando uma equipe de astrônomos franceses detectou o trânsito de um planeta. O HD189733b, como é designado, é um planeta gigante do tipo “Júpiter Quente”, com uma massa e raio 10% superior ao de Júpiter, e com uma temperatura de cerca de 1000 ºC no topo da sua atmosfera. O planeta orbita a estrela hospedeira com uma periodicidade de 2.2 dias, correspondendo a uma distância à estrela de apenas 4.8 milhões de quilômetros. Os seus trânsitos provocam uma diminuição de brilho de 3% na estrela, um recorde até à data. Os trânsitos profundos e o brilho aparente elevado da estrela (magnitude 8), que possibilitam observações com elevada razão sinal/ruído, fazem deste planeta um dos alvos mais cobiçados para quem estuda exoplanetas. A estrela, uma anã de tipo espectral K2, é mais jovem do que o Sol e tem uma atividade magnética intensa, emitindo grande quantidade de radiação com alto poder de penetração (e.x., raios-X) durante as frequentes erupções.

(A posição de HD189733 junto à nebulosa planetária Messier 27. Crédito: Filipe Alves)